quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Com Sandy no elenco, "Quando Eu Era Vivo" estreia dia 31 de Janeiro nos cinemas

 Cena do filme "Quando Eu Era Vivo", com Antonio Fagundes e Sandy

  Filmado inteiramente num apartamento na avenida São Luiz, no centro de São Paulo, o longa poderia ser um primo (ou um sobrinho) paulistano de "O Iluminado" (1980), um dos clássicos do diretor Stanley Kubrick (1928-1999).

  Júnior (Marat Descartes) é um homem de trinta e poucos anos que se separa da mulher e volta a morar com o pai (Antonio Fagundes, o primeiro a entrar no projeto).

  À medida que revira a memória da mãe morta, o divorciado entra em uma espiral sombria de demência na qual realidade se confunde com ilusão. "O filme de Kubrick é a primeira referência que me vem à cabeça, inclusive por causa do visual do meu personagem", brinca Descartes, com uma peruca de dar inveja a Jack Torrance, o personagem de Jack Nicholson no thriller. "Há também a mesma sensação claustrofóbica."

  Dutra e a corroteirista Gabriela Amaral Almeida tiveram a liberdade e a permissão do autor para mudar o necessário e incluir esse clima "dark". "A sensação é a de que havia elementos bons de trabalhar a dramaturgia. Estou curioso para ver a reação de quem leu a obra, ainda mais nesses tempos de Harry Potter, em que tudo precisa ser muito fiel."

  A referência a Kubrick, no entanto, poderia ter virado um elemento secundário em "Quando Eu Era Vivo". Isso porque, no meio do ano passado, a cantora Sandy foi incorporada ao elenco para viver Bruna, uma estudante de música que divide o apartamento com os dois homens.

  O filme chega aos cinemas no dia 31 de Janeiro de 2014.